Sede centro

48 3224-4337 / 3224-4925
               3224-5884 / 3223-6954
.

Desalento previdenciário: 61,5 milhões de brasileiros não devem se aposentar

Avalie este item
(0 votos)
21 Dezembro 2018

É alto o número de cidadãos que não contribuem com a Previdência Social nem poupam dinheiro para a aposentadoria. Razão está nos baixos salários e alto endividamento

A Associação Nacional dos Participantes de Fundos de Pensão (Anapar) divulgou estudo sobre o comportamento dos brasileiros em relação à aposentadoria, mostrando um quadro preocupante: apenas 13% da população afirmaram poupar dinheiro. Somam-se a isso as incertezas sobre a previdência pública, além das fragilidades do trabalho (impostas, especialmente, com a reforma trabalhista).

A grande razão está na baixa renda dos brasileiros. Dos 150 milhões de pessoas com mais de 16 anos, 112 milhões declaram ter dívidas. Mais de 94 milhões afirmam que suas rendas não são suficientes para viverem de forma adequada. De acordo com a Anapar, o quadro é de “desalento previdenciário”. Entre os endividados, 61% nem sequer contribuem para a Previdência Social, e não podem contar com benefícios do INSS como auxílio doença ou aposentadoria por invalidez.

A informalidade é um dos grandes problemas. De acordo com a pesquisa, 97,5 milhões de pessoas realizam atividade remunerada, entretanto, 52% destes, são trabalhadores informais, fazem bico ou são os chamados “freelancers”. Este panorama tende a ser intensificado com os efeitos da reforma trabalhista e o aprofundamento de políticas que fragilizam as relações de trabalho, como a proposta do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), de aplicar uma “nova carteira de trabalho verde e amarela”, aonde o trabalhador terá menos direitos.

“Todo esse contexto produz no brasileiro um raciocínio mais imediatista e uma falta de perspectivas sobre projetos pessoais de longo prazo, como é o caso da aposentadoria”, afirma a Anapar. “Sem a certeza do emprego no longo prazo, necessidades mais urgentes impedem essas pessoas de contribuir mensalmente com a Previdência. Ficam sujeitas à grave combinação de renda insuficiente e endividamento”, completa.
Os números

A pesquisa realizou entrevistas com 2.045 pessoas a partir de 16 anos em 152 municípios. Os principais dados coletados foram:

    - 61,5 milhões de brasileiros não poupam nem contribuem com a Previdência;
    - 75% dos entrevistados declaram ter dívidas;
    - Desses, 33% se consideram muito endividados ou endividados;
    - 63% dizem não ter renda suficiente para viver;
    - 13% da população afirma que poupa com regularidade;
    - 34% poupam de vez em quando;
    - 51% não guardam dinheiro;
    - 46% juntam apenas quando sobra;
    - 42% afirmam que não juntam dinheiro porque a renda é insuficiente;
    - 11% culpam as contas e 8%, as dívidas;
    - Dos endividados, 54% são mulheres;
    - 64% têm 45 anos ou mais
    - 65% dos brasileiros acima de 16 anos trabalham; 52% na informalidade

Filiado

filiado cut filiado contracs filiado fecesc filiado dieese

Rua Jerônimo Coelho nº 345 / Ed. Julieta / 2º andar / Centro
Fones/Fax: (048) 3224-4337 / 3224-4925 / 3224-5884 / 3223-6954 / Caixa Postal 789
CEP 88.010-030 / Florianópolis / Santa Catarina
Atendimento: Segunda à sexta / 08h às 12h / 14h às 18h